2 de mar de 2017

entrevista de flávio r. kothe


uma bela entrevista do admirável ensaísta e tradutor flávio r. kothe a jorge henrique bastos, "celan e a barbárie", disponível aqui.


2 comentários:

  1. Olá Denise, meu nome é Luis Francisco e sou estudante de psicologia. Estou envolvido em um trabalho da faculdade e gostaria de saber a sua opniao sobre os motivos que levam editoras de livros a cometerem plagios. se puder responder meu comentario fico agradecido . Abracos

    ResponderExcluir
  2. olá, luis francisco:
    até onde consigo entender, a principal razão é, basicamente, uma "praticidade editorial de fundo econômico", digamos assim. a publicação de um livro traduzido envolve vários custos e etapas de produção, desde a escolha do título, a seleção e contratação de um tradutor (obviamente remunerado), a feitura da tradução e o posterior processo de preparação e revisão, que costuma ter de duas a três fases (e que também têm seus custos). assim, utilizar espuriamente uma tradução já existente significa uma razoável economia nos custos editoriais e também nos tempos e prazos - o livro já está pronto, por assim dizer. é prático, rápido e os custos são menores. mas, felizmente, a ocorrência de novos plágios de tradução diminuiu drasticamente após as denúncias, inclusive judiciais.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.